HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

Notícias
Importância dos antioxidantes na comida para cães 06/01/2021 às 18:51:35

O papel dos antioxidantes na comida para cães nem sempre é claro. A princípio, podemos afirmar que, graças a esses componentes da alimentação do seu cão, o produto é conservado.

 

É fácil entender que o teor de antioxidantes na comida para cães contribui para o preparo de seus sabores e de suas propriedades nutricionais. Além disso, a ingestão de antioxidantes por si só beneficia a saúde do animal.

Em que consiste o processo de oxidação?

A oxidação é o processo que ocorre quando o alimento é exposto ao oxigênio. Progressivamente, o oxigênio vai causando a degradação dos nutrientes dos alimentos. O resultado da oxidação nos alimentos varia da descoloração ao sabor rançoso.

Portanto, um composto antioxidante atua bloqueando ou desacelerando a taxa de degradação do oxigênio.

O que os antioxidantes fazem quando são ingeridos?

Além de preservar a comida dos animais de estimação, os antioxidantes da comida para cães podem proteger as células do corpo contra danos oxidativos. Todos os dias, o corpo está exposto aos efeitos destrutivos dos radicais livres que normalmente são produzidos no corpo.

Esses radicais livres são instáveis ​​e altamente reativos. Na saúde, o corpo possui mecanismos para manter um equilíbrio adequado nos níveis de radicais livres. Se o equilíbrio for perdido e houver excesso de radicais livres, podem ocorrer danos às células.

Os radicais livres podem normalmente servir como uma arma para matar os patógenos que invadem o corpo. Em excesso, eles atacam vários alvos nas células, incluindo membranas lipídicas, enzimas que realizam processos metabólicos e até mesmo sequenciamento de DNA.

Os sistemas nervoso e imunológico do nosso animal de estimação são especialmente vulneráveis ​​aos danos oxidativos. O excesso de radicais livres é agora considerado um fator na progressão da doença e no envelhecimento prematuro em cães e gatos.

Os antioxidantes que vêm da dieta retardam os danos causados ​​pelos radicais livres. Eles evitam a propagação de danos às células.

De onde vêm os antioxidantes?

Dois tipos de antioxidantes são comumente usados ​​na comida dos cães: o natural e o sintético.

Antioxidantes naturais

Eles incluem as vitaminas C e E, ácido cítrico e algumas fontes herbais como o alecrim.

  • Vitamina C ou ácido ascórbico: contido em frutas e vegetais como laranjas, maçãs, tomates, espinafre e frutas vermelhas.
  • Ácido cítrico: fontes naturais de ácido cítrico são as frutas cítricas.
  • Vitamina E natural: nos rótulos dos alimentos comerciais, a vitamina E é comumente listada como ‘tocoferóis mistos’. É encontrada em óleos de milho, girassol, cártamo e soja, bem como em nozes e sementes, além de vegetais de folhas verdes.
  • elênio: presente em carnes (vermelhas) e peixes, também em vegetais e verduras.
  • Betacaroteno: é encontrado principalmente em vegetais de cor verde escura, como espinafre, dente-de-leão, acelga ou brócolis, bem como na cenoura, batata-doce e abóbora.
De onde vêm os antioxidantes?

 

Antioxidantes sintéticos

Esses compostos são criados em laboratório e estão listados no rótulo com as siglas BHA, BHT e etoxiquina.

  • Os compostos BHA e BHT são quimicamente semelhante à vitamina E. Eles são frequentemente usados ​​em combinação com comida para cachorro porque funcionam bem juntos. Ambos são muito estáveis ​​em altas temperaturas.
  • A etoxiquina, produzida pelo consórcio Monsanto, tem sido um aditivo controverso, mas atualmente é permitida em baixos níveis em alimentos para animais de estimação. A Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos o considerou seguro em doses muito baixas.

Após os resultados de vários estudos científicos, os especialistas concluíram:

  • O TBHQ, um composto derivado do metabolismo do BHA, tem efeito carcinogênico e genotóxico (afetando o DNA), enquanto o BHA – que não tem efeito teratogênico – é potencialmente alergênico.
  • O BHA e o BHT também são mencionados em uma lista emitida pela FDA como um desregulador endócrino (eles dificultam o metabolismo lipídico). A Comissão Europeia classificou essas substâncias como uma das principais preocupações à luz dos resultados dos estudos sobre toxicidade reprodutiva e propriedades desreguladoras do sistema endócrino e no que diz respeito à sua utilização na alimentação.

Escolhendo uma ração para cachorro

Sempre tente ler a lista de ingredientes na embalagem da ração. Lembre-se de que as empresas de alimentos para animais de estimação devem listar os antioxidantes e seus nomes comunsVocê também encontrará uma nota sobre quais ingredientes são usados ​​como conservantes.

Para tomar decisões sábias ao escolher a comida do seu cão, torne-se um consumidor informado. Aprenda tudo o que puder sobre os vários ingredientes nos alimentos para animais de estimação e por que eles são usados.

Cuidado com as afirmações que não podem ser apoiadas por evidências científicas ou que parecem ir contra o seu bom senso.

Fique atento para novas informações nutricionais e relatórios de fontes confiáveis. Ficar informado sobre os alimentos para os animais de estimação é outra forma de ajudar a proteger a saúde do seu cachorro.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: (Meus Animais)

 





ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Quais são as causas da otite em cães?
25/01/2021 às 13:02:45

Síndrome do intestino irritável em cães: causas e sintomas
25/01/2021 às 12:53:18

Nephrurus levis: cuidados em cativeiro
25/01/2021 às 12:48:03

Pênfigo em cães tem cura? Saiba mais
15/01/2021 às 13:42:49


© Canil Garra 2021. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco