HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

Notícias
As 4 doenças mais comuns em coelhos 05/12/2020 às 12:50:25

Como animal de companhia, o coelho não costuma conviver com outros animais da mesma espécie. Portanto, não tendem a sofrer das doenças graves mais comuns dos coelhos.

Na maioria dos casos, os coelhos têm problemas derivados de uma dieta incorreta ou problemas congênitos, como a má oclusão.

Em fazendas industriais de coelhos e em domicílios onde vivem vários indivíduos que também têm acesso ao ar livre, a prevalência dessas doenças comuns dos coelhos é maior.

Doenças mais comuns em coelhos: pasteurelose

A pasteurelose é uma das doenças bacterianas mais comuns em coelhos, além de ser altamente contagiosa. Geralmente, ocorre em locais onde vivem muitos coelhos, como incubatórios. Os animais doentes devem ser colocados em quarentena para evitar a contaminação de outros animais e humanos, pois é uma doença zoonótica.

A doença se apresenta principalmente com um quadro respiratório, de forma que o animal demonstra sintomas como:

A bactéria que causa essa doença é a Pasteurella multocidaNo entanto, outros patógenos, como Bordetella bronchiseptica, estão frequentemente envolvidos, e até mesmo outros organismos, como pseudomonas ou estafilococos, que agravam a doença.

Às vezes, a bactéria não afeta o sistema respiratório. Nesses casos, ela danifica outros órgãos, produzindo outros sintomas e patologias, por exemplo:

  • Otite média e torcicolo.
  • Conjuntivite.
  • Pericardite.
  • Abscessos subcutâneos ou em órgãos internos.
  • Infecção do trato reprodutivo: metrite e orquite.
  • Septicemia.

Não é comum vacinar um animal de estimação contra a pasteurelose, pois as chances de contágio são quase nulas. No entanto, nas coelheiras, deve ser realizado um plano de vacinação para evitar o aparecimento dessa doença.

Doenças mais comuns em coelhos: pasteurelose

 

Infecções por estafilococos

Staphylococcus é um gênero de bactérias gram-positivas que vivem na pele de mamíferos e pássaros. Quando essas bactérias estão na pele, não são um problema. Pelo contrário, elas fazem parte da flora natural desse órgão. No entanto, quando feridas profundas aparecem na pele e essa barreira é quebrada, a bactéria pode entrar no organismo.

O comportamento agressivo que os machos têm uns com os outros e as feridas que se produzem favorecem o aparecimento de infecções estafilocócicas.

A infecção mais comum é causada pela bactéria Staphylococcus aureus. Suas toxinas podem causar diferentes sintomas e condições, e até mesmo acabar com a vida do animal:

  • Diarreia.
  • Vômito.
  • Danos na epiderme e derme.
  • Aparecimento de furúnculos.
  • Impetigo bolhoso.
  • Endocardite ou inflamação do endocárdio.
Infecções por estafilococos

 

Os coelhos afetados por essa doença também se caracterizam pela presença de bolsas de pus encapsuladas no tecido conjuntivo. Esses focos estão localizados na pele e no tecido subcutâneo da cabeça, do tórax e das articulações, bem como na cauda.

Doenças comuns em coelhos: viral

As doenças virais mais comuns em coelhos, e para as quais podemos encontrar planos de vacinação, são as seguintes:

Mixomatose

A mixomatose é uma doença muito comum em coelhos, causada por um poxvírus. Da mesma forma, é muito contagiosa, pois pode ser transmitida pelo contato direto, através do transporte da poeira ou no ar, por sêmen ou por vetores como pulgas e mosquitos.

Doença viral

 

Após aproximadamente uma semana ou mais de incubação, lesões chamadas mixomas aparecem nas orelhas, nariz, boca, pálpebras e região genital do coelho. O animal acaba morrendo de pneumonia devido ao aparecimento de infecções secundárias.

Doença hemorrágica viral

A doença hemorrágica viral afeta, quase exclusivamente, coelhos com mais de dois meses de idade. O período de incubação é muito curto, de um a três dias. Após esse período, a frequência respiratória do animal aumenta, assim como sua temperatura corporal. Mais tarde, começam as convulsões que precedem a morte. Em certas ocasiões, pode ocorrer epistaxe ou sangramento nasal.

Existem vacinas para prevenir essa doença. Além disso, essa mesma vacina pode ser usada para reduzir as chances de morte se um animal afetado for detectado precocemente.

 

 

 

 

Fonte: (My Animals)






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Animais de estimação transmitem Covid-19 para humanos? Veja tira-dúvidas sobre a doença nos pets
24/02/2021 às 12:51:21

O que fazer no caso de uma intoxicação
09/02/2021 às 14:07:58

Acromegalia em gatos: sintomas e tratamentos
09/02/2021 às 13:55:47

Cachorro para pessoas idosas – Por que um idoso deveria ter um cãozinho?
08/02/2021 às 14:11:45


© Canil Garra 2021. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco