HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

    Rede Aleluia

Notícias
Uveíte felina: conheça a doença que afeta os olhos do gato 13/02/2019 às 23:27:33

Existem diversas doenças oculares que podem afetar os gatinhos, e dentre elas está a uveíte felina. Esse problema oftalmológico se trata de uma inflamação da parte frontal do interior do olho, mais especificamente a íris e corpo ciliar. Pode instalar-se em apenas um olho, chamado de uveíte unilateral, ou afetar ambos se transformando em uveíte bilateral.

 

Há também outros tipos de uveíte felina , essas bem menos comuns do que a anterior. A uveíte posterior aparece quando a parte posterior do interno do olho, o coroide, é atingido. Já a panuveíte faz referência a inflamação de todo o interior do olho.  

Essa doença merece uma atenção particular dos donos por causa de sua gravidade. Os gatos são particularmente sensíveis a ela por causa das características específicas da anatomia ocular: a parede de células endoteliais dos vasos capilares da íris é descontínua, o que facilita a filtragem celular e proteica para o humor aquoso.

A uveíte está entre os transtornos oftalmológicos mais frequentes nos felinos, com alta porcentagem de perda de visão parcial ou total. Pode afetar animais de qualquer idade e sexo, mas atinge principalmente os machos entre 7 e 9 anos. 

 

Causas da doença

A uveíte felina é uma Esse problema oftalmológico se trata de uma inflamação da parte frontal do interior do olho, mais especificamente a íris e corpo ciliar
reprodução shutterstock
A uveíte felina é uma Esse problema oftalmológico se trata de uma inflamação da parte frontal do interior do olho, mais especificamente a íris e corpo ciliar

A condição pode aparecer sozinha, sendo uma uveíte primária, ou como consequência de outros problemas, uma uveíte secundária. Essa última é a mais frequente, estando associada a diferentes fatores. Doenças virais e fatais de alta prevalência, como leucemia, são as principais causadoras da inflamação ocular . 

Patologias desse tipo provocam alterações na estrutura do tecido vascular, que pode se transformar em rupturas e inflamações. Portanto, é natural que doenças virais e afins originem tal condição. 

Do mesmo modo, a doença da úvea pode estar relacionada a fatores externos, como traumatismos, contusões e úlceras. Se seu gato sofreu um acidente recentemente ou brigou com outro animal, saiba que ele pode sofrer de uveíte sem ter qualquer enfermidade. 

 

Sintomas da uveíte felina

É importante recorrer ao veterinário assim que algum desses sintomas for observado. A uveíte deve ser tratada o quanto antes para evitar a perda da visão.
reprodução shutterstock
É importante recorrer ao veterinário assim que algum desses sintomas for observado. A uveíte deve ser tratada o quanto antes para evitar a perda da visão.

Ao contrário de muitas doenças, a uveíte é relativamente fácil de ser notada, assim como seus sintomas. Como se trata de uma inflamação, de cara é possível ver as mudanças nos olhos do bichano, com presença de células inflamatórias, vermelhidão, dor e vascularização. 

Além disso, é comum o gato ficar desconfortável diante da luz, ter problemas para enxergar, lacrimejar constantemente, apresentar pus na área lacrimal ou dentro das pálpebras, mudar a cor nos olhos, surgir manchas em forma aquosa, a íris inchar, a pupila se constrair e perder pressão no olho. 

É importante recorrer ao veterinário assim que algum desses sintomas for observado. A uveíte deve ser tratada o quanto antes para evitar a perda da visão. 

Diagnóstico e tratamento

Em geral, o tratamento da doença é feito em casa e sem internamentos, se dividindo em dois componentes: o específico e o paliativo
reprodução shutterstock
Em geral, o tratamento da doença é feito em casa e sem internamentos, se dividindo em dois componentes: o específico e o paliativo

O diagnóstico preciso da doença é fundamental para determinar se o problema é uma uveíte ou se trata de outra complicação oftamológica, como uma conjuntivite. Chegando a um resultado, o especialista poderá indicar um tratamento.

Em geral, o tratamento é feito em casa e sem internamentos, se dividindo em dois métodos: o específico e o paliativo. O primeiro tem como foco acabar com a origem do problema, podendo ser um medicamento à base de corticoides. O segundo irá diminuir os efeitos secundários da doença, como dor e inchaço, através de anti-inflamatórios. 

É fundamental a união dos métodos para evitar sequelas da inflamação, por exemplo, cataratas, glaucoma, desprendimento da retina e cegueira. Cabe aos donos seguir as recomendações médicas e aplicar os medicamentos corretamente. Vale ressaltar que a evolução do tratamento dependerá em grande parte do tipo de uveíte e em que fase foi detectada. 

Quando a uveíte é originada de um traumatismo, é bem mais simples de tratar, assim como os casos detectados prematuramente. A necessidade de internamento e cirurgia é raro, ficando restrito a casos específicos ou quando uma doença grave ocasionou a uveíte. 

 

O prognóstico da uveíte felina costuma ser bom quando diagnostica cedo e tratada corretamente. É por isso que os donos devem sempre estar atentos à saúde do bichano, fazendo visitas regulares ao veterinário e garantindo seu bem-estar. 

 

 

 

 

Fonte: (Canal do Pet)






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Belas e Feras estará no 5o Encontro dos Apaixonados por Cães de João Monlevade, MG
11/05/2019 às 20:29:49

Pesquisa por remédio para leishmaniose é interrompida por falta de verba em universidade pública
06/05/2019 às 20:04:08

Alimentos orgânicos para animais de estimação
03/05/2019 às 22:21:52

Por que os cães não podem comer chocolate?
03/05/2019 às 22:19:59


© Canil Garra 2019. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco